Na tela - Alberto Vargas

11:55

Alberto Vargas
Joaquim Alberto Vargas y Chávez nasceu no Peru em 1896, seu pai era Max T. Vargas um fotógrafo de sucesso, em 1911 ele foi morar em Paris com seu pai e seu irmão. E foi em lá que a vida de Alberto mudou completamente, conhecendo dois de seus grandes ídolos artísticos: Ingres e Raphael Kirchner.
Kirchner era um artista privilegiado para La Vie Parisienne e tão famoso na França como Harrison Fisher e Charles Dana Gibson. Vargas foi profundamente influenciado por suas técnicas e sua aproximação com a figura feminina.


Alberto Vargas e sua modelo, 1940s
Vargas foi convidado para ir a Inglaterra em 1916 e começar a sua aprendizagem em uma grande casa de fotografia Inglesa. Com uma Guerra Mundial ele descobriu que era impossível sair de Paris e chegar a Londres, conseguindo apenas ir para NY.
Em Nova York ele começou a retocar fotografias, desenhos e pinturas. Kirchner e Russell Flint foram os homens que o influenciaram neste período, especialmente as pinturas de Kirchner para o Ziegfeld Follies. Kirchner morreu em 1917 e Florenz Ziegfeld convidou Vargas para fazer uma exposição de pintura em uma promoção de vitrines em 1919. Vargas tornou-se o artista preferido de Ziegfeld por uma dúzia de anos. Pintando retratos de todas as estrelas da Broadway Vargas desenvolveu sua arte. A representação da forma feminina, sempre valorizando a forma mas nunca vulgarizado.



Em 1930 ele teve que pedir emprestado o dinheiro para pagar a licença de casamento. Vargas nunca foi um homem de negócios e quando quis fugir com sua esposa o valor das obras já não eram o mesmo. Então a Esquire o contratou para substituir George Petty. Vargas foi contratado por três anos recebendo US $ 75 por semana, onde a Esquire levaria 50% das verbas obtidas a partir de qualquer venda de obras de arte de Vargas. Em 1944 sob um novo contrato, Vargas produziu quase uma pintura por semana, somando de US $ 1000 por mês.


1943


Vargas e a Esquire eram muito populares com soldados na Segunda Guerra Mundial. Na verdade "Vargas" que era popular. Seu nome foi encurtado para fazê-lo parecer mais exótico.
Então Vargas descobriu que a Esquire havia patenteado o nome de "Varga" o qual Alberto tinha desenvolvido a sua reputação. A patente foi solicitada e concedida em 1946,  mas imediatamente após isso Vargas trouxe um processo contra
Esquire para quebrar o contrato exclusivo que tinha com a revista até 1957. Ele venceu a primeira etapa, mas ao termino ele foi proibido de usar o nome
Varga.

1948
Hugh Hefner o fundador e editor-chefe da Playboy que já havia trabalhado para a revista Esquire, escreveu aos correios dos EUA tentando colocar a Esquire fora do negócio em 1940 tirando sua licença. Os federais se opuseram, sobretudo para as artes de Alberto Vargas. A Esquire prevaleceu no caso em que foi para o Supremo Tribunal Federal e a disputa legal com a Esquire sobre o uso do nome "Varga" resultou em um julgamento contra Vargas que lutou financeiramente até os anos 1960, quando a revista Playboy começou a usar seu trabalho como Vargas Girls.
1942


1943
1940's
1945
1940's
1940's
Anna Mae, esposa e musa inspiradora de Alberto Vargas
A morte de sua esposa, Anna Mae em 1974 o deixou devastado, levando-o a parar de pintar. Anna Mae não foi só sua esposa mas também sua modelo, inspiração e sua gerente de negócios. Aos 64 anos quando Vargas deu início a uma nova carreira e finalmente teve o devido respeito e a segurança financeira que ele merecia, trabalhou para a Playboy por 16 anos durante o qual ele produziu 152 pinturas.

Curiosidades:

  • O Pecado de Nora Moran'' de 1933 que mostra um quase nu Zita Johann em uma pose de desespero é apontado como um dos maiores cartazes de cinema de todos os tempos.




  •     Em Dezembro de 2003 houve um leilão de arquivos da Playboy e a pintura de 1967 chamada ''Doçura ou Travessura'' foi vendido por 71.600 dólares.
  •     Entre as mulheres pintadas por vargas estão: Olive Thomas, Billie Burke, Nita Naldi, Marilyn Miller, Paulette Goddard, Irish McCalla, Ava Gardner e Ruth Etting.
  •    Em 1978 Reid Austin escreveu um conto da vida de Vargas ilustrado com algumas imagens inéditas e raras das suas obras.
  • Nasceu em 9 de fevereiro de 1896 e morreu em 30 Dezembro 1982.
Ava Gardner
Fontes e inspirações: DieselPunks/Wikipedia
Imagens: Google/Pinterest - EsquireMagazine:Etsy

Você também vai gostar:

Comentários
0 Comentários

0 comentários

Obrigada por sua visita! Deixe seu comentário e sinta-se a vontade para voltar quando quiser.